Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

De Sedentário a Maratonista

A motivação também se treina!

Seg | 21.04.14

E viva o treino funcional!!!

José Guimarães
Vocês já sabem que o treino funcional traz muitas vantagens para quem corre. Se não sabem é porque ainda não leram muitosdos posts que publico neste blog. Isto porque eu sou um defensor acérrimo (para não dizer um grande chato) do treino de força como complemento ao treino de corrida. Frequentemente solto um desabafo aqui e ali, dizendo que muitas das pessoas que correm deviam fazer alguns exercícios de força, como complemento aos treinos de corrida. Já por uma ou outra ocasião que eu próprio sofri no corpo por ter aumentado o volume dos meus treinos de corrida, sem adequadamente treinar - por exemplo - a zona do core, ou seja, basicamente toda a musculatura que envolve o nosso abdómen. Uma dessas ocasiões foi no ano passado, antes de participar no MIUT - Madeira Island Ultra Trail, quando a falta de força abdominal e algum abuso nas corridas originaram uma pequena lesão na zona lombar (a famosa L5-S1), que me ia atirando para um período de repouso prolongado. Felizmente os treinos do António Nascimento deram resultado e hoje estou a trabalhar rumo ao Lisboa Triathlon (já faltam menos de 2 semanas) e ao UTMB com um à vontade que no ano passado não seria de todo possível. Atualmente já é mais que sabido que, se quiserem correr bem, pedalar bem ou nadar bem... ou até mesmo ter um nível de vida diário mais saudável, não perdem nada em fazer de vez em quando uma sessão de treino de força. Vejam, por exemplo, o artigo que saiu no Público, que menciona este tipo de treino como uma das melhores soluções para perder gordura e modelar o corpo. Isto para não falar em conseguir lidar com as solicitações físicas diárias muito mais facilmente. A título de exemplo (algo parecido com o exemplo que dão no próprio artigo), recordo a queda de bicicleta que a minha irmã sofreu no ano passado, que poderia ter tido consequências bem mais graves, caso não tivesse uma musculatura tão desenvolvida. Finalmente, isto tudo que falei é positivo quando feito com cabeça. Não se atirem de repente a sessões de treino de força como se o mundo fosse acabar amanhã. Comecem devagar, aumentem de intensidade ou de número de sessões de forma gradual e, em caso de dúvida, procurem alguém com experiência no assunto. Não é à toa que além dos treinos no ginásio, eu ainda adicionei o Pilates como parte integrante dos meus treinos de força, elasticidade e mais alguns pozinhos. Portanto, se acharem que posso ajudar em alguma coisa, deixem aqui um comentário ou contactem-me diretamente. Bons treinos e façam o favor de ser saudáveis!

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.